quarta-feira, 20 de julho de 2011

Huayno

O Huaino ou huaiño (em quíchua wayñu) é um importante gênero música e dança de origem inca e muito difundido nos países andinos. Possui diversas formas, segundo as tradições locais ou regionais; e, de certa forma, representa a adesão popular à cultura do chão pátrio. É considerada a dança andina por excelência.


O cavalheiro oferece o braço direito para convidar a dama para dançar, põe o lenço sobre o ombro dela; em seguida é efetuado o passeio dos casais pelo recinto; e finalmente a dança, que consiste de sapateado ágil e vigoroso, durante o qual o cavalheiro aproxima-se da dama, frente a frente, tocando-a com seus ombros ao girar, e somente ocasionalmente enlaça seu braço direito ao esquerdo de seu par, ao mesmo tempo em que ambos evoluem ao ritmo da música. Seus movimentos são alegres e espertos.

Sua estrutura musical surge de base pentatônica de ritmo binário, característica estrutural que permitiu a esse gênero converter-se na base de uma série de ritmos híbridos, desde a chicha até o rock andino. Os instrumentos que intervêm na execução do huaino são a quena, o charango, a arpa peruana, o requinto, a bandurria, o bandolim, a harpa e o violino.

Em algumas variantes do huaino intervêm bandas típicas, que acrescentam instrumentos como as trompetas, o saxofone e o acordeão. Por outro lado, ainda que gêneros muito diferentes, na sensibilidade popular o huaino está mais vinculado à marinera do que aparenta, como o recorda este estribilho de marinera serrana: (em espanhol no original) "no hay marinera sin huaino / ni huaino sin marinera / cholita pollera verde / para tí va la tercera". (Tradução: não há marinera sem huaino / nem huaino sem marineira / cholita de saia verde / para ti vai a terceira".)



Algunos huaynos peruanos conocidos

• Huayno El cóndor pasa de Daniel Alomía Robles, interpretado por diversos intérpretes peruanos e internacionales.

• Huayno Vírgenes del Sol de Jorge Bravo de Rueda , interpretado por diversos intérpretes peruanos e internacionales.

• Huayno Adiós pueblo de Ayacucho, recopilado por Estanislao "Tany" Medina, interpretado por el "Trío Ayacucho" y diversos intérpretes de la música ayacuchana e internacional en español y quechua.

• Huayno Mambo de Machaguay de Manuel Guzmán Collado, interpretado por diversos intérpretes peruanos e internacionales en español.

• Huayno Valicha de Vladimir Hurtado, interpretado por diversos intérpretes peruanos e internacionales en quechua.

• Huayno Ojos Azules de Manuel Casazola Huancco, interpretado por diversos intérpretes peruanos e internacionales en español.

• Huayno Mi Propuesta (Amor, Amor) del Dr. César Romero Martínez, interpretado originalmente por Kiko Revatta y hecho famoso por el "Dúo Gaitán Castro" en español y quechua.

• Huayno "Flor de Retama" de Ricardo Dolorier Urbano, interpretado originalmente por el "Trío Huanta" y hecho famoso por Martina Portocarrero en español.



Algunos huaynos bolivianos conocidos

• Huayno Río huaycheño, huayno de Huaycho interpretado originalmente por el conjunto Los Huaycheños, actualmente interpretado por diversos artistas bolivianos y peruanos.1

• Huayno Uchuluru ñawisitu

• Huayno Los borrachos originalmente compuesto en ritmo de tuntuna por la agrupación Los Payas y readaptado a Huayno por diversos artistas.2

• Huayno Wayayay interpretado por los Kjarkas.3

• Huayno Cholita marina, huayno tradicional Boliviano constantemente readaptado por varios artistas.4

• Huayno Siway azucena, huayno tradicional de Chayanta interpretado por Luzmila Carpio.5

• Huyno La pícara, huayno k`alampeado interpretado por los Kjarkas.6



Para assitstir:
 
Federino Tarazona, tocando seu hatun charango, um canção folclórica
 



 
A dança



 
Grupo com arpa, violino e percussão.



 
Grupo moderno, com flautas e metais

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Lamento della Ninfa

Ninfas e Sátiro (1873) - Pintura de William-Adolphe Bouguereau


Lamento Della Ninfa é um madrigal de Claudio Monteverdi, uma peça renascentista que caracteriza a evolução do canto em relação ao período medieval. Ao escutá-la, fica evidente a ruptura com o canto medieval, predominantemete cristão, pois trata-se de uma criatura fantástica que resgata a mitologia grega e o amor trágico, podendo-se encontrar a paisagem bucólica, onde na beira de um rio enxergamos uma ninfa chorar e lamentar a perda de um amante, que a ela era infiel.

Claudio Giovanni Antonio Monteverdi foi compositor, maestro e cantor. Destacou-se como compositor de madrigais e óperas, sendo autor de Orfeu, considerada por muitos como a primeira ópera. Foi um dos responsáveis pela passagem da tradição polifónica do Renascimento para um estilo mais livre, dramático e dissonante, baseado na monodia e nas convenções do baixo contínuo e da harmonia vertical, que se tornaram as características centrais da música dos períodos seguintes, o Maneirismo e o Barroco.

Em Il Lamento Della Ninfa, Monteverdi apresenta um fraseado diferente, apontando para o que seria a música barroca em seus contrapontos. Pode- se perceber nessa peça o ostinato feito pelos baixos, que construirá uma atmosfera melancólica acentuando a idéia de um lamento. Assim, é formada a imagem de uma Ninfa que lamenta a perda de seu amado, sendo rodeada por dois trios que contam sua história.

Esta peça foi extraída do Libro Ottavo de Madrigali, conhecido como Madrigali Guerrieri et Amorosi (Madrigais de Guerra e de Amor). Este foi impresso em um momento em que a arte vocal do madrigal havia cedido sua posição dominante a formas menos densas. Como a cantata e o duo, este livro de madrigais aparece como uma espécie de épodo aos tempos passados.

Monteverdi continua sendo um dos compositores mais importantes a levar o contraponto renascentista ao canto monódico, que pode ser claramente percebido nesta peça.


Glossário

Ostinato: Um motivo ou frase musical que é persistentemente repetido numa mesma altura, sendo que a idéia repetida pode ser um padrão rítmico, parte de uma melodia ou uma melodia completa.

Épodo: Nos coros de tragédias, parte lírica que se cantava depois da estrofe e da antístrofe.

Monódia: canto a uma só voz podendo ser acompanhada de um instrumento como o alaúde, pode exemplo.


Letra

Coro

Non havea Febo ancora recato al mondo il dí,
ch'una donzella uora del proprio albergo uscí.
Sul pallidetto volto scorgeasi il suo dolor,
spesso gli venia sciolto un gran sospir dal cor.
Sí calpestando fiori errava hor qua, hor là,
i suoi perduti amori cosí piangendo va:

Ninfa e Coro

"Amor", dicea, il ciel mirando,
il piè fermo,"dove, dov'è la fèch'el traditor giurò?"
Miserella.
"Fa' che ritorni il mio amor com'ei pur fu,
o tu m'ancidi, ch'io non mi tormenti più."
Miserella, ah più no, no,tanto gel soffrir non può.
"Non vo' più ch'ei sospiri
se non lontan da me,
no, no che i martiri più non darammi affè.
Perché di lui mi struggo,
tutt'orgoglioso sta,
che si, che si se'l fuggo ancor mi pregherà?
Se ciglio ha più sereno colei,
che'l mio non è,
già non rinchiude in seno,Amor, sí bella fè.
Ne mai sí dolci baci da quella bocca havrai,
ne più soavi, ah taci,taci, che troppo il sai."

Coro

Sí tra sdegnosi piantispargea le voci al ciel;
cosí ne' cori amanti mesce amor fiamma, e gel.


Tradução

Coro

Não havia Febo* ainda trazido ao mundo o dia,
Quando uma donzela ora da própria morada saiu;
Sobre seu palidinho rostoVislumbrava-se sua dor.
Amiúde soltava-se-lhe um grande suspiro do coração.
Se, pisando nas flores errava,ora aqui, ora acolá,
Os seus perdidos amores Assim chorando vai:

Ninfa e Coro

“Amor” dizia o céu mirando,
o pé parou “Amor, Amor, onde está a fidelidade que o traidor jurou?
Pobrezinha...
“Faça que retorne o meu amor assim como ele se foi,Ou tu me matas para que eu não mais me atormente.”
Pobrezinha! Ah não, não, com tanta frieza não pode sofrer.
“Não me atormente, não me atormente mais.
Não, não quero mais que ele suspire, a não ser longe de mim.
Não, não, que os mártires não mais me dirão em fé
não mais me dirão em fé.”
“Porque dele me aflijo Todo orgulhoso está
(che si, che si) Se dele eu fujo, ainda me pedirá.
Se o olhar dela é mais sereno de quanto o meu já não é mais
Ela não abraça em seu peito, Amor,Tão bela fidelidade
Nem nunca tão doces beijos nunca nunca
Terás daquela bocaNem mais suaves ahh,
cala-te cala-te cala-te
Cala-te, porque sabe-o demais!

Coro

Assim entre prantos desdenosos espalhava vozes para o céu,
Assim nos corações amantes o amor mistura chama e gelo.


Curiosidades

Na mitologia grega, ninfas são qualquer membro de uma grande categoria de espíritos naturais femininos, às vezes ligados a um local ou objeto particular. Muitas vezes, ninfas compõem o séquito de variados deuses e deusas. São frequentemente alvo da luxúria dos sátiros. São a personificação da graça criativa e fecundadora na natureza.

Definição

Ninfa deriva do grego "nimphe", que significa "noiva", "velado", "botão de rosa", dentre muitos outros significados.
As ninfas são espíritos, geralmente alados, habitantes dos lagos e riachos, bosques, florestas, prados e montanhas.
São frequentemente associadas a deuses e deusas maiores, como a caçadora Ártemis, ao aspecto profético de Apolo, ao deus das árvores e da loucura Dionisius, ao rústico Pã e ao aspecto pastoreador de Hermes.
Uma classe especial de ninfas, as Melíades, foram citadas por Homero como as mais ancestrais das ninfas. Enquanto as demais ninfas são normalmente filhas de Zeus, as Melíades descendem de Uranus.
Apesar de serem consideradas divindades menores, espíritos da natureza, as ninfas são divindades às quais todo o mundo Helénico prestava grande devoção e homenagem, e mesmo temor.


Classificação

Encontramos vários tipos ou classes de Ninfas conforme o seu habitat, ou as diferentes esferas naturais a que estão associadas.
Entre as mais populares, classificamos:

Ninfas da terra:
Alseídes - associadas a flores
Auloníades - associadas a pastos
Dríades - associadas a florestas
Hamadríades - associadas a árvores
Leimáquides - associadas a campinas
Oréades - associadas a montanhas
Napéias - associadas a vales

Ninfas da água:
Oceânidas - filhas de Oceanus, qualquer corpo de água, normalmente água salgada.
Nereidas - filhas de Nereu, associadas ao Mar Mediterrâneo, aos mares calmos e às águas litorâneas.
Náiades - associadas à água doce.
Crináias - associadas a fontes.
Limnátides - associadas a lagos perigosos e pântanos.
Pegéias - associadas a mananciais.
Potâmides - associadas a rios.

Outras:
Musas - filhas de Zeus e Mnemosine, ou de Uranus e Gaia, passaram a compôr o séquito de Apolo durante a era olímpica.
Calíope - poesia épica
Clio - história
Erato - poesia lírica ou erótica
Euterpe - música
Melpômene - tragédia
Polímnia - poesia sacra
Tália - comédia
Terpsícore - dança
Urânia - astrologia
Lâmpades - associadas ao submundo, compõem o séquito de Hécate.
Hespérides - guardiãs do Jardim das Hespérides, onde cresciam maçãs de ouro que davam a imortalidade a quem as comesse.


Citações

Callimachus no seu Hino a Delos descreve-nos a angústia de uma Ninfa pelo seu carvalho recentemente atingido por um raio.

As Ninfas aparecem muitas vezes como auxiliares de outras divindades, como são exemplo as ninfas de Circe, ou como ajudantes de certos deuses, particularmente Ártemis, ou mesmo de outras Ninfas de maior estatuto como Calipso.

As Ninfas também aparecem bastante em lendas onde o amor é o motivo central, como as histórias de Eco e Calisto, e ainda onde o papel de mulher de um herói é de certa maneira tema recorrente, como são exemplos a lenda de Aegina e Aeacus ou a da Ninfa Taygete.


Para ouvir:

Performers: Viveca Axcell (Soprano), Douglas Nasrawi (Tenor), John Potter (Tenor), Harry Van der Kamp (Bass)


Obs:
William-Adolphe Bouguereau foi um pintor francês academicista que ficou conhecido pelo seu tradicionalismo, pela sua admiração às pinturas clássica e renascentista(especialmente Rafael) e pelo gosto por temas mitológicos. Se tornou um artista irrelevante para o seu tempo, pois os pintores impressionistas de seu tempo já estavam indicando o caminho para o expressionismo, rompendo definitivamento com a dependência dos moldes acadêmicos.

domingo, 30 de maio de 2010

Rock Gótico

Hello!!!

Vou falar de um tipo de som que aprendi a gostar na infância e que ainda ouço muito.

O Rock Gótico começou no final dos anos 70, com forte influência alemã e bandas como X-Mal Deutschland e Joy Division. Se encaixa no que foi chamado de Pós-Punk, pois era um tipo de som que derivava do Punk Rock, mas com um caráter mais onírico, atmosferas mais etéreas e sombrias e letras menos politizadas. Exemplos de bandas são Sisters of Mercy, Siouxsie and the Banshees, Bauhaus, Clan of Xymox, entre outras...

O visual sempre foi muito importante na sub-cultura gótica, sendo mais melancólico que o do punk, com muita roupa preta, couro e maquiagem, mas herdou as botas, os acessórios de metal e os moicanos de seus predecessores. No início o gótico foi até definido como Punk Gótico ou Dark Punk.

Após o advento do Rock Gótico, muitos outros estilos de música passaram a fazer parte da cena gótica, como o Industrial, o EBM, o Future Pop, o Synth Pop, o Horror Punk, Psycho Billy, Death Rock, Dark Wave, entre outros , coexistindo em casas noturnas e festas do gênero.

Comecei a frequentar a cena gótica de São Paulo em meados dos anos 90, e muitas casas fizeram o rolê nessa época como o Madame Satã, Espaço Retrô, Morcegóvia, The The, Treibhaus...Hoje nada disso existe, mas ainda restam lugares pra ir como o Pub Fiction, o Via Underground, Susi in Transe, Dr. Phibes, Theatro dos Vampiros...


Siouxsie and the Banshees, importante banda gótica, tocando uma música do Iggy Pop que ficou mais conhecida no Brasil com a versão do Capital Inicial.


Sisters of Mercy!!!

Para os que gostam de metal

Trago uma banda da qual gosto muito e que tive o prazer de assistir seu show em 2004 quando vieram a São Paulo, o Linkin Park. Para quem estava nas arquibancadas (como eu!!) o som não estava dos melhores, mas os "caras" mandam muito bem e o vocalista,Chester Bennington, é simplesmente sensacional!
O Linkin Park tem como principais estilos o Rock alternativo, Rapcore e Nu metal (new metal) e surgiu na cidade Agoura Hills, estado da Califórnia no ano de 1996.

A "New Divide" é música tema do filme "Transformers: Revenge of the Fallen" em 2009, que capricha nos efeitos especais além conter boas doses de ação. Este som "soa" menos nu metal, porém obteve grande sucesso logo após seu lançamento.

Abaixo música "New Divide", com trailers do filme.



sábado, 29 de maio de 2010

Ska Italiano - dica da Thalita

Olá companheiros!

Hoje apresento à vocês a dica musical da Thalita Manca que estuda biblio conosco. Bassotti banda italiana de Ska, que aborda como tema a política, o socialismo entre outras coisas.
Ouvi alguns sons e escolhi essa música chamada Bella ciao.
Segundo a Wikipedia "Bella ciao" é uma canção popular da Resistência italiana da Segunda Guerra Mundial. A origem da canção é incerta e o autor da letra desconhecido. A canção foi gravada por vários artistas italianos, russos, bósnios, croatas, sérvios, húngaros, ingleses, espanhóis, alemães, turcos, japoneses, chineses e curdos. Ainda sapeando na internet descobri outra banda italiana Modena City Ramblers que também fez versão para essa música. Seguem os dois vídeos, escolhi o primeiro pela qualidade do som. Vou fazer algo diferente dessa vez, postar a letra (também retirada da wikipédia) que é bem bacana. Se você ficou curioso dê uma olhada na tradução. Os links propostos pela Wiki foram mantidos para quem quiser se aprofundar no tema.
Ela gostou, eu gostei e você o que me diz?


Para sair cantando em italiano:

Una mattina mi son svegliato,
o bella, ciao! bella, ciao! bella, ciao, ciao, ciao!
Una mattina mi son svegliato,
e ho trovato l'invasor.
O partigiano, portami via,
o bella, ciao! bella, ciao! bella, ciao, ciao, ciao!
O partigiano, portami via,
ché mi sento di morir.
E se io muoio da partigiano,
o bella, ciao! bella, ciao! bella, ciao, ciao, ciao!
E se io muoio da partigiano,
tu mi devi seppellir.
E seppellire lassù in montagna,
o bella, ciao! bella, ciao! bella, ciao, ciao, ciao!
E seppellire lassù in montagna,
sotto l'ombra di un bel fior.
E le genti che passeranno,
o bella, ciao! bella, ciao! bella, ciao, ciao, ciao!
E le genti che passeranno,
Mi diranno «Che bel fior!»
«È questo il fiore del partigiano»,
o bella, ciao! bella, ciao! bella, ciao, ciao, ciao!
«È questo il fiore del partigiano,
morto per la libertà!»


Ouça mais:

http://www.myspace.com/bandabassottiband

bjks!




quinta-feira, 20 de maio de 2010

Chocolate Rain

Olá,

Hoje um amigo me falou de um garoto que está fazendo um enorme sucesso no You Tube, porém a música não toca na rádio. Adam Nyerere Bahner, mais conhecido como Tay Zonday, no dia 22 de abril de 2007, publicou um vídeo no You Tube chamado Chocolate Rain.

Considerado pelos internautas o novo hit da Web.
A música é muito interessante e envolve questões sociais.

Segue um link para mais informações:
http://raopo.com.br/?p=35


Bossa Nova

Galera!
Sei que todos conhecem e já devem ter ouvido algumas músicas da Bossa Nova que por sinal nos dias de hoje, ainda é considerada o estilo musical símbolo da cidade do Rio de Janeiro, por sua melodia e por suas letras. Então, é com grande prazer que trago um pouco de lembranças e alegria para vocês, que como eu, apreciam este estilo musical.


Vejam e acessem estes links:

Tom Vinícius Toquinho e Miúcha 13 - Água de Beber

Samba do Aviao - Tom Jobim - Bossa Nova - Samba


Fonte: http://cliquemusic.uol.com.br/generos/ver/bossa-nova


Saibam aqui um pouco de história desta galera.